OPINIÃO: Um olhar geral sobre o especial GP de 70 anos da Fórmula 1

Atualizado: Jan 3

Briga entre Verstappen e as Mercedes pela vitória, decepção de Vettel e a sina de Nico Hülkenberg

*Mary Alencastro

(Foto: Red Bull/Reprodução)


O segundo GP na Inglaterra já começou com grandes expectativas: Nico Hülkenberg garantindo um ótimo P3 no classificatório e com a chance do seu primeiro pódio. Uma pole de Valterri Bottas, e a expectativa de uma boa briga com o atual campeão Lewis Hamilton.


A corrida teve uma boa largada, com uma alta temperatura da pista, o jogo de pneus, somado a uma boa estratégia, foram cruciais para a corrida. E com todos esses fatores somados, o nome do GP foi: Max Verstappen.


Em meio à pits e reclamações a respeito dos pneus, por parte dos adversários, Max fez suas voltas com muita tranquilidade e bom humor perguntando, mais uma vez, se a equipe havia se hidratado - brincando com o fato de estar correndo tranquilamente, sem pressão.

Seu companheiro, Alex Albon, fez uma ótima corrida. O piloto da Red Bull chegou a ocupar a 20ª posição após algumas paradas nos boxes, mas conseguiu uma incrível recuperação terminando em quinto lugar.


Pelo outro lado, mais uma vez a Ferrari teve problemas. O piloto Sebastian Vettel não teve um dia nada favorável, terminando em P12. Já Charles Leclerc, novamente, conseguiu ''tirar leite de pedra'' do limitado SF1000 e alcançou uma ótima quarta colocação.


E por falar em Vettel, quem também rodou no GP, inclusive na mesma curva, foi Daniel Ricciardo. O australiano neste domingo teve o pior desempenho da temporada até então. O representante da Renault começou a corrida bem, mas não teve sorte com os pneus - como dito anteriormente, parte imprescindível para essa corrida. Em contraponto, Esteban Ocon conseguiu um ótimo desempenho saindo da 14ª posição, chegando até a oitava.

(Foto: Scuderia Ferrari/Reprodução)


Vale destacar as performances de Kvyat e Gasly, as duas Alpha Tauri, que terminaram em 10º e 11º respectivamente, conseguindo um ponto por finalizarem dentro da zona de pontuação - P10.


A famosa "Mercedes Rosa", Racing Point, não teve um desempenho extraordinário e não conseguiu o tão esperado pódio de Nico Hülkernberg (not tudo bom today, né, Hulk?) Stroll, com uma ida a menos aos boxes, conseguiu finalizar a corrida à frente de Nico.


Por fim, o hexacampeão, Lewis Hamilton, passou por uma corrida trabalhosa, mas sem prejuízos, terminando na mesma posição em que largou, no segundo lugar. A briga com Max Verstappen pela vitória rendeu grande momentos a quem estava assistindo.


O GP especial de 70 anos da F1 veio para nos fazer vibrar e assistir boas disputas na pista. Sentiremos saudades, mas que venha Barcelona!

© 2020 por Equipe Ricciardo Brazil.    |